Governo de Sergipe perfura poços artesianos em Tobias Barreto

 Expedição conjunta dos órgãos gestores em recursos hídricos do Governo do Sergipe e a Prefeitura Municipal, na quinta-feira (10) percorreu as imediações do povoado Palame, em Tobias Barreto (SE), buscando locações propícias à Cohidro realizar a perfuração de poços que possam atender à demanda emergencial por água potável que o município enfrenta. A análise das características geológicas da superfície procurava a localização de um prolongamento do aquífero situado na Bahia. Mas segundo os especialistas, a indicação da presença do reservatório subterrâneo em território sergipano somente será conclusiva após a análise de amostras de material do subsolo.
 A equipe do Governo é formada por geólogos das companhias sergipanas de Desenvolvimento de Recursos de Hídricos e Irrigação (Cohidro), de Saneamento (Deso) e da Superintendência de Recursos Hídricos (SRH), ligada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurb). A pesquisa de campo foi seguida de uma reunião dos técnicos na sexta-feira (11), que emitiu um laudo indicando a necessidade de realizar um ‘furo-guia’. Segundo Maria Auxiliadora Lima, é uma perfuração de solo sem objetivo de encontrar água, mas para coleta de materiais rochosos e suas diferentes composições de camadas.
 “Fizemos um levantamento da área. No lado da Bahia é excelente, no lado de Sergipe é que tem um comportamento peculiar na borda de bacia. O estudo em campo foi feito com mapas geológicos, imagens de satélite e, devido a dificuldade encontrada in loco de se definir o comportamento da formação São Sebastião, resolvemos fazer um furo de pesquisas”, relata a geóloga da Cohidro. “Fiquei muito contente com este trabalho, era uma pesquisa necessária para Sergipe e que vem engrandecer o papel da Cohidro no estado”, complementa Auxiliadora.
 Participaram da expedição de campo, além de Maria Auxiliadora, os geólogos João Carlos Santos da Rocha (SRH) e Mike Henderson (Deso), também acompanhados do representante da Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão de Tobias Barreto, Danillo Campos. Foi um estudo da composição geológica da superfície nos setores delimitados pelos mapas, situada na extremidade leste do município e também na área limítrofe entre os dois estados. Buscavam a localização para ter acesso, via perfuração, ao aquífero São Sebastião.
 Segundo o diretor de Infraestrutura e Mecanização Agrícola da Cohidro, Paulo Henrique Machado Sobral, a formação aquífera está quase toda situada no subsolo do território do estado da Bahia mas, segundo estudos geológicos, em uma pequena e bastante restrita área avança sob o território sergipano. “Tendo indícios suficientes, através da pesquisa de campo desse corpo conjunto de geólogos do Governo de Sergipe, vamos fazer os poços com nossas equipes de perfuração. Esses poços poderão ser interligados à rede de distribuição de água  da Deso no município, caso eles venham oferecer vazão suficiente que permita o bombeamento”, condicionou.
 O diretor-presidente da Cohidro, Carlos Fernandes de Melo Neto, explica que a ação é resultante da reunião entre os representantes destes órgãos estaduais e o governador Belivaldo Chagas, ocorrida na terça-feira (8) anterior. “O governador nos reuniu: Deso, Cohidro, SRH, secretarias Geral de Governo e de Comunicação, pois quer que busquemos soluções para enfrentar à crise hídrica que atravessam alguns municípios sergipanos assim como determinar medidas preventivas para a segurança hídrica no estado, para que os efeitos da falta de chuvas, no futuro, sejam minimizados e não afetem mais a população”, expôs.
 João Carlos, da SRH, reforça que a conclusão do corpo de geólogos foi conjunta, para a perfuração do ‘furo-guia’. “O objetivo é procurar um local de perfuração adequado para abastecer a cidade de Tobias Barreto e todo município. Em formações rochosas em que já foram feitas perfurações (em Tobias Barreto), indicaram que a quantidade de água é insuficiente e a qualidade da água é insatisfatória (salobra). A gente foi visitar este local em que há uma mancha do aquífero encontrado na Bahia e foi constatado que nenhum poço foi feito nesta área. Então, a gente vai fazer esse poço”, concluiu.
 O geólogo da SRH explica que o estado vizinho é bem mais privilegiado pelo aquífero pesquisado, onde foi possível a exploração de poços com grandes vazões hídricas em profundidades médias de 100 metros. “Mas a Bahia está mais centralizada nessa formação São Sebastião, onde há poços até 80 a 100 metros cúbicos por hora (m³/h). Para abastecer Tobias Barreto, a gente precisaria de 300 m³/h. Então seria necessária uma bateria de poços que atendam os 300 a 350 m³/h. A gente sabe que na Bahia tem poços bons e se gente conseguir aqui cerca de 50 m³/h, já seria muito bom”, considerou João Carlos. Ele ainda constatou, na visita, que á área não é de difícil acesso, o que facilitará a perfuração dos poços e a uma futura construção da adutora.


Nenhum comentário

Football