Centrais sindicais protestam contra Reforma da Previdência, em Aracaju

 Centenas de manifestantes se concentraram na praça General Valadão, no Centro de Aracaju, na tarde desta sexta-feira (14) em protesto contra a Reforma da Previdência e o contigenciamento de recursos na Educação. Diversas categorias de trabalhadores atenderam ao chamado de centrais sindicais para a Greve Geral e se mobilizam desde as primeiras horas do dia.
 Os protestos se somam a várias capitais do país, pelas ruas e rodovias. Com a paralisação, diversos serviços como educação, comércio, transporte público (que se mantém com 40% da frota total) e agências bancárias seguem afetados. 
 Para a presidente do Sindicato dos Bancários, Ivânia Pereira, a Reforma vai causar prejuízos e tirar direitos dos trabalhadores. "Vai impactar as pessoas mais humildes, os menores salários. As aposentadorias rurais equivalem a 400% do FPM, só em Lagarto equivale a 391% do FPM. Isso quer dizer que o Governo Federal e Paulo Guedes querem é quebrar os municípios", disse em entrevista à TV Atalaia.
 Na manhã de hoje, atos também foram realizados no centro comercial da capital, que registrou movimento fraco por conta das mobilizações. Para o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT/SE), Ronildo Almeida, o ato é uma demonstração da revolta dos trabalhadores "contra o massacre e retirada de direitos, conquistados em anos de luta".
 A chuva que cai na capital não atrapalhou o ato. Da praça, os manifestantes seguiram em direção ao terminal do Centro, depois para a avenida Gonçalo Rollemberg. Eles prometem encerrar o ato no bairro 13 de Julho, na zona Sul da capital. 


Nenhum comentário

Football