Candidato a deputado federal por Sergipe, pelo PSOL, na campanha eleitoral de 2018, Claudinei Rodrigues dos Santos, mais conhecido como “Passo Preto”, está com sérios problemas com a justiça eleitoral.
 Após ser notificado para justificar os gastos com a campanha, ele próprio gravou um vídeo em que diz  não ter sido orientado e que gastou o dinheiro da verba pública com amigos, bebendo em bares, e que, por desinformação, não se preocupou com nota fiscal. Trata-se de crime de apropriação indébita, pelo qual ele vai responder.
 De acordo com a Justiça Federal, Passo Preto recebeu R$ 1.904,68 do Fundo Especial de Financiamento de Campanha. No vídeo, que viralizou nas redes sociais, Passo Preto admite que frequentava bares que não forneciam notas fiscais, portanto ele não teria como comprovar os gastos. “Foram 45 dias bebendo, tomando cerveja. Como vou prestar contas agora”, diz.
 Após o fato ter ganhado repercussão, Passo Preto disse que não sabia da irregularidade nos gastos com bebida e que não sabia que teria que prestar contas. “Não foi compra de voto, porque gastei todo o dinheiro com cerveja. Meu erro foi não pegar nota fiscal”, argumenta.
 De acordo com a justiça federal, a prestação de contas do ex-candidato já havia sido rejeitada por falta de comprovação e ele já teria sido intimado a devolver o dinheiro. A juíza relatora do caso votou pela devolução do valor após o processo transitado e julgado.
 Ao tomar conhecimento da situação, a procuradora da República Eunice Dantas, disse em entrevista a uma emissora de TV, que o vídeo é ‘vergonhoso’. “Trata-se de apropriação indébita, um crime comum, e será encaminhado para a Justiça Federal”, observou a procuradora.
 Passo Preto disse que pensa em reunir os amigos com os quais ele pagou bebida para pedir ajuda. Ele pretende fazer uma espécie de vaquinha para arrecadar o dinheiro que terá que devolver à justiça.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Sergipano