O Palmeiras encara, amanhã (26), às 19h15, o único time que foi capaz de tirar ponto do Alviverde na sua melhor fase no Brasileirão. Em jogo que ficou marcado por não ter sido transmitido por conta da falta de acordo com a TV Globo, a equipe paulista ficou só no 1 a 1 com o CSA na única partida que não conseguiu vencer no Nacional até a parada da Copa América. Ainda na disputa da Copa do Brasil e da Libertadores, a equipe enfrentou os alagoanos com o time inteiro reserva. Agora, para o jogo do 2º turno, a escalação em campo será 100% diferente. A começar pelo banco de reservas: sai Felipão, entra Mano Menezes.
 Entre os titulares do jogo desta quinta no Estádio do Pacaembu, nenhum deles esteve em campo em Maceió. A maioria nem sequer viajou para evitar o desgaste: Gustavo Gómez, Felipe Melo e Dudu são exemplos dessa situação. A escalação na ocasião foi a seguinte: Jailson; Mayke, Edu Dracena, Antônio Carlos e Victor Luís; Thiago Santos, Moisés e Lucas Lima; Raphael Veiga (autor do gol), Hyoran e Deyverson. Matheus Fernandes, Felipe Pires e Carlos Eduardo saíram do banco. Nenhum dos listados acima estará entre os titulares.
 Com esse time, o Palmeiras perdeu os únicos pontos do Brasileirão até a pausa para a Copa América. O time de Felipão venceu Fortaleza, Internacional, Atlético-MG, Santos, Botafogo, Chapecoense, Athletico e Avaí. Para mudar essa história, a equipe de amanhã terá: Weverton; Jean, Vitor Hugo, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Gustavo Scarpa; Dudu, Willian e Luiz Adriano.
 Desta equipe, Vitor Hugo e Luiz Adriano sequer faziam parte do grupo. Além disso, daquela delegação que foi até Maceió, em maio, seis atletas não estão mais na Academia de Futebol: Moisés foi para a China; Fabiano foi negociado com o Boavista; Juninho fez as malas e foi para o Bahia ao lado de Alejandro Guerra; Arthur Cabral foi emprestado ao Basel (SUI); e Felipe Pires cedido ao Fortaleza. Se vencer o CSA, o Palmeiras também conseguirá outro feito. A última vez que o time conseguiu vencer cinco partidas seguidas foi entre  4  de maio e 10 de julho — ao todo foram 11 triunfos consecutivos, dez deles antes da pausa para a Copa América. 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem