Pouco tempo depois de Sergipe completar mais de mil dias sem qualquer ocorrência de fugas nos presídios sergipanos, a Escola de Gestão Penitenciária (Egesp) recebeu dois drones que irão auxiliar no patrulhamento aéreo de todas as unidades prisionais de Sergipe. Com estes equipamentos, a Secretaria de Estado da Justiça e de Defesa ao Consumidor (Sejuc) irá atingir áreas de difícil acesso, principalmente em situações de crise, inibindo as tentativas de fuga e protegendo os trabalhadores do sistema prisional de possíveis ataques externos.
 Nos próximos dias, a Egesp formará inicialmente 10 pilotos em parceria com a Associação Brasileira de Multirrotores (ABM) sob a coordenação do instrutor Francisco Faria, representante da ABM (Região Nordeste).
 Segundo o secretário da Justiça e Cidadania, Cristiano Barreto, os drones serão utilizados para monitorar todas as unidades prisionais do estado, a fim de fornecer informações para as equipes de agentes penitenciários. “É mais uma estratégia para estabilizar o sistema. Há casos de pessoas na área externa dos presídios que tentam jogar celulares, drogas e qualquer tipo de objeto. Portanto, com os drones, podemos inibir essa ação e responsabilizar criminalmente envolvidos. Além disso, podemos verificar qualquer movimento atípico dentro e fora das unidades prisionais”, explicou Cristiano Barreto.
 O monitoramento por drones nos presídios se junta às quase 200 câmeras de um vasto circuito montado dentro de todos os presídios. Essa vigilância, segundo a Sejuc, é importante para manter todo o sistema estabilizado.
 “Quero agradecer ao Dr Emerson Albuquerque Resende, Procurador do MPT e toda a sua equipe por entender a necessidade dos drones nas atividades do Sistema Prisional sergipano, como também, aos representantes da ABM por nos auxiliar na capacitação dos pilotos”, destacou o diretor da Egesp, Delmário Magalhães.

Foto Sejuc


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem