A substância oleosa que atinge o litoral nordestino desde o início de setembro alcançou, em algum momento, todas as 17 praias de Sergipe, de acordo com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs). As manchas começaram a aparecer no estado no dia 24 de setembro.
Segundo o órgão, as praias afetadas são as seguintes:
Litoral Norte
Pacatuba: Ponta dos mangues
Pirambu: Praia de Pirambu
Barra dos Coqueiros: Atalaia Nova, Boca da Barra, Costa, Jatobá
Litoral Sul
Aracaju: Artistas, Coroa do meio, Atalaia, Aruana, Náufragos, Refúgio, Sarney e Viral
Itaporanga D'ajuda: Caueira
Estância: Abaís e Saco
Impasse
 Duzentos metros de barreiras de contenção foram instaladas no Rio Sergipe, na região do município da Barra dos Coqueiros (SE), na tarde da quinta-feira, com o objetivo de proteger e preservar o manancial da substância oleosa. A medida foi tomada após um impasse entre a Petrobras e o Governo do Estado.
 Segundo a Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), a estatal petrolífera enviaria a Sergipe boias absorventes para serem colocadas no Rio Vaza-Barris, mas o equipamento não chegou. A Petrobras alegou ter enviado o material, mas a informação continuou sendo negada pela Adema.
As barreiras, cedidas pelas Centrais Elétricas do Sergipe (Celse), e fazem parte do trabalho de contenção, dentro das medidas do decreto de emergência encaminhadas às empresas parceiras, referentes às ações previstas no Plano de Emergência Individual (PEI).
Emergência
 No último sábado (5), o governo estadual decretou situação de emergência, e o Projeto Tamar suspendeu a soltura de filhotes de tartarugas marinhas por conta do problema. No mesmo dia, o presidente Jair Bolsonaro determinou uma investigação sobre as origens do óleo.
 Além disso, as manchas atingiram a área de praia do maior berçário de tartarugas da espécie oliva do país, na reserva Santa Isabel, que fica em Pirambu.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem