Grupos religiosos iniciaram uma campanha de boicote contra a Netflix e o grupo de comediantes Porta dos Fundos. Segundo eles, o filme A Última Tentação de Cristo, encabeçado pelo grupo e distribuído pela plataforma, constitui uma blasfêmia e um abuso a fé.
 O advogado Paulo Henrique Cremoneze, vice-presidente da União dos Juristas Católicos de São Paulo (UJUCASP), afirma que a obra é ofensiva e que o direito constitucional à liberdade de expressão não justifica ataques. Além de pedir boicote ao grupo e à plataforma de streaming, os fiéis também vão contra as marcas que os patrocinam.
 O filme mostra um relacionamento homossexual entre Jesus Cristo e Satanás, além de um triângulo amoroso entre Deus, Maria e José. Uma petição online já reúne 180 mil assinaturas e pede que a Netflix retire a série de seu acervo.



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Sergipano