Uma ação conjunta das equipes da Delegacia de Nossa Senhora das Dores e do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) terminou na morte do casal Maria Risonere da Silva, a “Paulinha”, 45, e Robério Feitosa dos Santos, 29, durante uma troca de tiros, e na prisão de Reginaldo Santos Júnior, 25.
 A ação deflagrada nesta quinta-feira (12) teve como foco o cumprimento de mandados de prisão e busca e apreensão relacionados a suspeitos de integrar um grupo criminoso que estaria traficando drogas e determinando execuções no município.
 O grupo vinha sendo investigado há vários meses pela Regional de Dores, com o apoio do Cope e da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol). “Durante o trabalho investigativo verificamos a atuação de três grupos na região. Um que tinha o envolvimento da família de Gilmara, que foi presa na semana passada. O liderado por Robério, que posso afirmar que é o maior; e outro que ainda está sob investigação, mas já foi identificado”, explicou o delegado Regional de Dores, Marcos Garcia.
 Nos levantamentos realizados ficou esclarecido que Robério estaria comandando o tráfico e teria participação em quatro homicídios ocorridos recentemente no município. O casal usava dois prostíbulos para distribuir drogas, além de atuar na exploração sexual de adolescentes.
 Entre as mortes atribuídas ao grupo estão as de Bruna Farias da Silva e Diana dos Santos, 24, registradas no dia 21 de novembro no Matadouro Velho. Os assassinatos teriam relação com a disputa pelo comando do tráfico em Dores.
 Ontem, quando os policiais do Cope e da Regional de Dores foram cumprir os mandados na residência dos suspeitos, localizada na rodovia de acesso a cidade de Capela, Rosinere e Robério teriam reagido e efetuado vários disparos. No revide, o casal foi baleado e morreu. Já Reginaldo foi preso. Outro suspeito de integrar o grupo criminoso, identificado como Romário Vieira da Silva, 25, conseguiu fugir.
 Durante a operação foram apreendidos armas, drogas e o veículo Jetta blindado. “Robério era temido na cidade. Onde chegava as pessoas tinham medo. Ele andava em um carro blindado, que foi apreendido”, revelou o delegado Marcos Garcia. Ele acrescentou que Rosinere era quem gerenciava os prostíbulos, que serviam de base para o tráfico.







Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Sergipano