Mais uma falta de coerência e respeito para com os servidores públicos e os trabalhadores da iniciativa privada, que trabalham em média 30 anos para garantir uma aposentadoria que vai desde o salário mínimo ao teto do INSS, hoje fixado em pouco mais de R$ 5.800,00.
 Para fugir da Reforma da Previdência do Estado, aprovada por eles próprios, um grupo de deputados estaduais se antecipou e solicitou do Instituto de Previdência do Legislativo do Estado de Sergipe (Iplese) aposentadoria compulsória, que já foi deferida pelo presidente do Iplese, Zeca da Silva, ex-deputado estadual, por sinal, já aposentado compulsoriamente com salário bruto de pouco mais de R$ 10 mil.
 Alguns deputados começaram agora o segundo mandato, mas já garantiram aposentadoria para o resto da vida. É o caso do deputado estadual Samuel Barreto, mais conhecido por Capitão Samuel, que receberá aposentadoria de deputado proporcional ao seu tempo de mandato, pouco mais de cinco anos, mesmo já recebendo aposentadoria compulsória de R$ 10.091,40 como capitão reformado da Polícia Militar.
 Ainda tem o caso do ex-deputado estadual Gustinho Ribeiro, que mesmo estando em Brasília exercendo o mandato de deputado federal não deixou passar batido. Ele tem apenas 37 anos, mas já garantiu também sua gorda aposentadoria.
 A “esperteza dos deputados” revoltou os servidores públicos que criticam a postura e a falta de compromisso dos parlamentares para com a moralidade pública.
 “Isso é uma falta de respeito aos servidores públicos que trabalham 30 anos em média para se aposentar com um valor que mal dar pra pagar as contas no final do mês. Eles poderiam muito bem renunciar a esta pouca vergonha que eles próprios criaram para se beneficiar, assim como fez a ex-deputada Ana Lúcia, que deu exemplo nesta casa. Classifico isso como uma imoralidade pública”, desabafa a servidora pública Sônia Maria, que se aposentou após 30 anos de serviços prestados ao Estado.
 Para o professor Roberto Silva, uma das principais lideranças do movimento dos trabalhadores no serviço público de Sergipe, os deputados se anteciparam à aposentadoria proporcional para fugir da idade mínima estabelecida pela Reforma da Previdência do Estado, que penalizará os servidores públicos.  
 “Os deputados se aposentam um dia antes de destruir a aposentadoria dos servidores para não serem pegos na Reforma da Previdência, porque com a aprovação da reforma eles não vão puder mais se aposentar proporcionalmente.  E aí eles têm que ter a idade mínima que a PEC estabelece”, lamenta o professor Roberto Silva, uma das principais lideranças do movimento dos trabalhadores no serviço público de Sergipe.
Aposentados
 De acordo com o Diário Oficial do Estado terão direito à aposentadoria proporcional os seguintes deputados: Luciano Bispo (65 anos), Vanderbal Marinho (65 anos), Zezinho Guimarães (64 anos), Garibalde Mendonça (63 anos), Francisco Gualberto (63 anos), Luciano Pimentel (62 anos), Gilmar Carvalho (58 anos), Goretti Reis (58 anos), Capitão Samuel (49 anos), Jefferson Andrade (39 anos) e Gustinho Ribeiro (37 anos).
 Segundo a folha de pagamento do Instituto de Previdência do Legislativo do Estado de Sergipe, que o Hora News teve acesso, os salários brutos pagos aos deputados aposentados variam de R$ 5 mil a R$ 32 mil, a depender do tempo de contribuição como parlamentar. No entanto, a maioria dos deputados aposentados recebe entre R$ 10 mil a R$ 25 mil por mês.

Hora News 



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Sergipano