Com um saldo negativo de 4.833 vagas de emprego com carteira assinada em abril, Sergipe chega a um acumulado no ano de 2020 de 9.486 desempregados. No mês passado, de acordo com o Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, foram registradas 2.126 admissões e 6.959 desligamentos.
 Em todo o país são 12,8 milhões de desempregados, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada hoje (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 De acordo com a análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da Universidade Federal de Sergipe (UFS), com base nos dados do Caged, houve fechamento de vagas em todos os grupamentos de atividades econômicas do estado. Os destaques foram os grupamentos de serviços, com saldo negativo de 2.021 vagas.
 Em seguida ficaram as atividades de Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (-1.213 vagas), Indústrias de transformação (-778 vagas), Construção (-663 vagas), Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (-87 vagas) e Outras Indústrias (-71 vagas).
Municípios
 Dentre os municípios sergipanos, Campo do Brito registrou a maior criação de vagas de trabalho, no mês analisado, com a criação de 27 postos de trabalho, seguido de Japoatã (+26 vagas) e Rosário do Catete (+18 vagas).
 Já o saldo da capital, Aracaju, no mês de abril foi o de maior número de fechamento de postos de trabalho, com saldo negativo de 2.772 vagas. Em seguida estão Nossa Senhora do Socorro (-475 vagas), Itabaiana (-312 vagas) e Simão Dias (-182 vagas). Quase 5 mil sergipanos deram entrada no seguro desemprego em abril.

*Com informações NIE/FIES



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem