Na noite da última quarta-feira, 8, por volta das 22h, um fato envolvendo uma transexual e um radialista foi parar na Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV).

 A ação se deu no Centro de Aracaju e, segundo a profissional do sexo, o comunicador teria a abordado nas imediações da Catedral Metropolitana, onde a jovem trabalha como profissional do sexo, e perguntado o valor do programa.

 No Boletim de Ocorrência, a transexual relata que informou o valor, ele aceitou e seguiram para um local sem grande fluxo de pessoas, na Rua Dom José Tomáz, onde teria acontecido o ato. Ela diz ainda que o radialista teria pedido para ter relações sexuais sem o uso de preservativo, o que foi aceito por ela mediante o pagamento da quantia de R$ 1.000,00.

 Ainda de acordo com o seu depoimento, após o sexo, o radialista teria se recusado a efetuar o pagamento, entrando em luta corporal e a jogando ao chão e pisando sobre o seu corpo. Após as agressões, a jovem diz que o próprio locutor chamou a polícia e disse ter sido vítima de roubo.

 A versão contada pela transexual é contrária ao que diz ter sofrido o radialista. Em um vídeo gravado por ele, e que circula nas redes sociais, o comunicador conta que voltava do seu trabalho, na Rádio, quando em um determinado ponto do Centro, enquanto aguardava a abertura do semáforo, foi surpreendido pela transexual que entrou, abruptamente, em seu veículo portando uma faca de mesa de serra.

 O radialista diz, ainda, que a jovem pediu para que ele a conduzisse a um determinado ponto do Centro da Capital. Chegando às proximidades da Rua Dom José Tomaz, a transexual pediu para que ele parasse o carro, tirando a chave da ignição, pegando uma quantia em dinheiro, que estava em um compartimento do automóvel, e partindo em disparada.

O radialista afirma ter saído em perseguição à acusada, entrando em luta corporal. Foi aí que a transexual pulou o muro de um estabelecimento comercial e o comunicador teria chamado a polícia. A jovem acabou devolvendo a quantia em dinheiro e todos seguiram ao DAGV.

 Ainda no vídeo, o locutor afirma estar sofrendo perseguição e ataques nas redes sociais devido à proporção tomada após a divulgação da versão da profissional.

 O caso já está sendo investigado pela delegada Roberta Fortes e diligências para se chegar à verdade dos fatos já foram providenciadas. A transexual também esteve no Instituto Médico Legal para realizar um exame de constatação de lesão corporal.

|Da equipe JC
||Foto: Divulgação



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Sergipano