O RecargaPay nasceu de uma ótima ideia: servir como um meio de pagamento de contas, recarga de celular e outros serviços, direto no celular, usando seu cartão de crédito.
Quando o Apple Pay foi lançado no Brasil, o app foi um dos primeiros a aceitar a nova forma de pagamento, inclusive sendo destacado pela própria maçã. Porém, de lá para cá o comportamento dele mudou tanto que o app foi retirado da sessão da App Store que indica aplicativos compatíveis com o Apple Pay. A maçã parou de sugerir a instalação dele.
Assinatura do serviço
 Para realizar pagamentos normais, o RecargaPay não cobra nada, é de graça. Porém, ele oferece um plano mensal de R$14,99 pago com alguns benefícios bem discretos, caso alguém queira assiná-lo.
O problema é que tudo é feito de uma maneira para fazer os mais distraídos assinarem o serviço sem perceber. E muitas vezes nem querer.
Parcelamento induzido
 A mesma tática de se aproveitar da distração do usuário acontece na forma de pagamento. Você escaneia o código de barras de um boleto e a tela apresenta todos os dados para você pagar. 
 Porém, se você não ficar atento, não perceberá que o aplicativo automaticamente configura para você pagar em 3 vezes aquela conta, com juros que vão direto para a empresa. Dos diversos aplicativos de pagamento no Brasil, o RecargaPay é o único que tem este comportamento com seus usuários.
 Alguns reclamam que, mesmo selecionando pagamento único, o sistema muda sozinho para 3x. É o caso do nosso leitor Gustavo, que está recorrendo à justiça para reaver a cobrança que ele considera indevida.
Sequestro do pagamento
 Há um outro problema que alguns usuários enfrentam, e que não é raro de acontecer: ao realizar um pagamento, o sistema informa como “Pendente” e segura-o por horas, às vezes dias. Nem sempre há uma razão lógica para isso e parece ser meio aleatório.
 Há casos de usuários que pagaram um boleto dois dias antes do vencimento e o sistema segurou o pagamento todo este tempo, para depois dizer que ele não foi realizado. O usuário então tem que arcar com juros, pagando o boleto em outro lugar.
Suporte que não responde
 Em todos os contatos que tivemos com a direção do RecargaPay, eles se vangloriam por atender rapidamente todos os problemas dos clientes. Mas na prática, não parece ser o que acontece de fato. Fizemos alguns testes de campo e os resultados não foram nada satisfatórios.
 Em um pagamento que ficou “Pendente”, tentamos de todas as maneiras entrar em contato com o suporte, para saber se a conta seria paga ou não. Nem por e-mail, nem na página do Facebook obtivemos qualquer resposta em tempo hábil. Em um dos casos, só foram nos responder 9 dias depois.
 No aplicativo, não há um lugar claro e fácil para entrar em contato pedindo ajuda. Já não era no início, e com o tempo parece que dificultaram isso ainda mais. No perfil do usuário há um botão “Ajuda”, mas há semanas que ele simplesmente não funciona.
O usuário merece respeito
 Que fique bem claro: ninguém aqui está pedindo para o RecargaPay oferecer seus serviços de graça. Sabemos o quanto é duro manter uma empresa no Brasil e que bons serviços devem ser cobrados. Porém, isso deve ser feito sempre com transparência e respeito ao consumidor. Fazer um aplicativo com difícil acesso ao suporte e que tem diversos mecanismos que induzem centenas de usuários ao erro, ou é incapacidade da equipe técnica em identificar falhas (e resolvê-las), ou é ato de má-fé. E nós preferimos acreditar que o caso do RecargaPay seja a primeira opção.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Sergipano