O "Conexão Repórter", da última segunda-feira 14, comandado por Roberto Cabrini no SBT, revelou denúncias contra o médium Kleber Aran Ferreira e Silva, de 46 anos, líder do templo Amor Supremo.

 Aran Aran ganhou fama afirmando incorporar espíritos de luz, como o do Dr. Fritz e a Rainha, e hoje é procurado por multidões. Ele é acusado de usar a má-fé para cometer abusos sexuais e aumentar a arrecadação financeira de seu templo. Kleber negou todas as acusações.

 O médium atende em Aracaju, Salvador, São Paulo entre outras capitais do país, mantendo uma agenda cheia.

 No programa, Roberto Cabrini ouviu denúncias contra ele, que usava do argumento, segundo as mulheres, de que sempre precisaria da energia vitral que vem da criação — ou seja, do ato sexual — para conseguir a força para curar as pessoas.

 Na investigação, Cabrini ouviu onze vítimas em diferentes partes do Brasil aonde a história se repete. O programa ouviu pacientes, voluntários e ex-funcionários em relatos de pessoas que confiaram no médium e que, agora, revelam um outro lado dele.

 Ana (nome fictício), que trabalhou para ele, disse que chegou a recrutar mais de 100 mulheres jovens para participar de sessões de sexo grupal para ajudar a dar forças para os "guardiões" — como os espíritos eram chamados.

 Ela disse também que havia ameaças e gastos excessivos de dinheiro que vinha diretamente dos apoiadores.

 Outra ex-integrante da equipe afirmou que de duas a três vítimas chegaram a revelar a ela que foram abusadas quando eram menores de idade.

Médium nega

 Kleber Aran disse que não tem responsabilidade sobre a ação dos espíritos que ele incorpora. "A mediunidade é tão sublime e tão importante. Eu acredito na minha fé e no meu trabalho".

 Ele negou que teve relações sexuais com pacientes e questionou a demora no relato dos supostos abusos. 

 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Sergipano