Em entrevista coletiva concedida no início da noite de ontem, 7, logo após a reunião do Governo do Estado com o Comitê Técnico-Científico e de Atividades Especiais, o governador Belivaldo Chagas (PSD) mostrou preocupação com o crescimento dos casos de Covid-19 e afirmou que há possibilidade de um colapso na rede pública no fim de março e início de abril. “Pelo que está projetado, vamos ultrapassar 280 mortes em janeiro”, disse Belivaldo. “O que se constatou foi um aumento substancial de óbitos, um aumento substancial de pessoas internadas. Analisamos os últimos 14 dias e chegamos ao patamar que a coisa está se complicando e vamos precisar da ajuda de todos. Tivemos 102 mortes em novembro, 176 mortes em dezembro e, pelo que está projetado, nós vamos ultrapassar os 280 corpos no mês de janeiro”, alertou Belivaldo.

 “Hoje estamos com 195 leitos de UTI, mas com uma observação a ser feita, estamos com 29 leitos de UTI neonatal. Se eu tirar esses leitos, ficamos com 176 leitos. É fato que, nesse ritmo e pelas projeções da Universidade Federal de Sergipe, a gente pode sofrer uma onda de estrangulamento de leitos na rede pública e não termos leitos. Podemos nos deparar no limite e esse limite fazer com que a gente tenha um colapso na rede. A projeção é de que no final de março e início de abril a gente tenha um colapso na rede”, pontuou o governador. Sem flexibilização Por último, ele deixou claro que ficou decidido pela não flexibilização das atividades até que uma nova reunião do comitê científico seja realizada, dentro de 14 dias, para avaliar os números. “Não vamos flexibilizar nada, absolutamente nada, mas também não vamos fechar nada, absolutamente nada”, finalizou Belivaldo.

|Por Max Augusto
||Foto: Mario Sousa

 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Sergipano