Ontem, (01), o prefeito Dilson de Agripino e o vice-prefeito César Prado, foram empossados na Câmara de Vereadores de Tobias Barreto.

 Na cerimônia de posse, o prefeito Dilson de Agripino partilhou com os vereadores, os secretários, a imprensa e a população que acompanhou através das redes sociais, a preocupação com a situação do município. Informou, ainda, sobre a necessidade de editar Decreto de Emergência Administrativa e Financeira, em decorrência do cenário de destruição e de anomalias, resultantes da má gestão pública municipal, sob o comando do ex-prefeito de Tobias Barreto Diógenes Almeida.

 Dilson afirmou que a cada passo dado pela equipe de transição, através das visitas nos órgãos, análise dos dados e dos documentos, os fatos evidenciados são estarrecedores. Desta forma, além do Decreto de Emergência Administrativa e Financeira, será necessário realizar uma vistoria administrativa e financeira na gestão do Ex-prefeito Diógenes Almeida, a fim de apurar todos os atos que envidenciam improbidade administrativa e condutas irregulares, com o objetivo de inviabilizar a atual gestão.

 Ainda no discurso do atual prefeito, podemos notar fatos que deverão ser apurados e que foram determinantes para edição do Decreto de Emergência.

 O ex-prefeito Diógenes descumpriu a resolução do Tribunal de Contas de Sergipe e não repassou informações e documentos completos, solicitados pela comissão de transição, a exemplo de extratos e saldos bancários, pagamentos e boletins de medição de obras.

 Além disso, não realizou os pagamento da folha salarial dos servidores e de aproximadamente dois meses dos empréstimos consignados, fato que pode resultar na inscrição dos servidores nos cadastros dos órgãos de proteção ao crédito (SPC/SERASA), além de ter deixado uma dívida de mais de  R$ 10 milhões na SULGIPE e ter entregado a secretaria de obras sem condições de gerir os serviços básicos, já que praticamente toda a frota está sem funcionar, incluindo os coletores de lixo, não cumprindo a legislação constitucional e não repassou o duodécimo para a Câmara de Vereadores referente ao mês de dezembro de 2020.

 Além de todas as situações relatadas, Dilson de Agripino, ainda trouxe para conhecimento da sociedade, que o ex-prefeito Diógenes Almeida, ao invés de valorizar e priorizar os servidores, preferiu pagar indenização de secretários, a exemplo do seu filho Júnior de Diógenes.

 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Sergipano