Uma live que ocorria ontem, 11, num restaurante em Itabaiana, com os cantores Antônio o Clone e Dedé Brasil foi interrompida pela Polícia Militar, através do 3º BPM.

 O caso deu o que falar, visto que os cantores usaram as suas redes sociais para demostrarem a indignação com a atitude da PM.

 “A gente tá fazendo live para ajudar os músicos que estão passando fome e o Governo do Estado e as autoridades não estão fazendo nada para ajudar. Estamos parados a mais de um ano e ninguém (os órgãos públicos) chegam para nos ajudar”, disse Antônio, num vídeo.

 O cantor Dedé Brasil completou, pedindo que as autoridades competentes olhem pela classe dos músicos e eventos. “A gente quer pedir a sensibilidade do Ministério Público, do Governo do Estado, dos deputados estaduais, que deem uma solução e abram espaço para que pelo menos a gente consiga o nosso pão de cada dia”.

 De acordo com a Polícia Militar, a live foi interrompida, pois o estabelecimento onde ocorria, um restaurante, tem autorização para funcionar apenas através de delivery de sua atividade finalística, que é o fornecimento de alimentação, durante os fins de semana, conforme o decreto governamental em vigor em Sergipe.

 “Por esse motivo, a equipe da PM ao chegar ao local determinou o encerramento imediato do evento, o que foi atendida prontamente pelo organizador. Pelo decreto governamental em vigor, qualquer evento cultural de qualquer natureza necessita de comunicação e prévia autorização da Secretaria de Estado da Saúde”, disse o Tenente-coronel Fábio Machado.

 Ainda segundo os cantores, no estabelecimento, que cabem cerca de 1.000 pessoas, apenas 20 estavam no local, sendo eles, das bandas e produção.

Confira o depoimento dos cantores:

 

FONTE: ITNET

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Sergipano