Professores da rede estadual e das escolas municipais de Sergipe decidiram, em assembleia unificada, realizada nesta quarta-feira (21), manter a decisão de não voltar às aulas presenciais e o compromisso de continuar ministrando aulas remotas, esse anúncio já havia sido realizado inicialmente no dia 04 de de maio pela categoria.

 A informação é do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado de Sergipe (Sintese). O estado prevê retomar as aulas presenciais do dia 17 de agosto. Já na capital, as aulas serão iniciadas no dia 13 de setembro.

 Eles pedem a completa imunização dos trabalhadores da educação, com a segunda dose da vacina contra a Covid-19, escolas com condições sanitárias e pedagógicas, testagem em massa dos estudantes. A categoria cita ainda, o auxílio tecnológico, revisão do piso salarial e a revogação do desconto dos 14% dos proventos dos aposentados.

 “Ainda estamos em pandemia, a maior parte da população ainda não está imunizada, por isso não podemos naturalizar um retorno às aulas presenciais nas escolas públicas, nas atuais condições. Nossa luta é em defesa da vida e não somente a nossa, mas dos demais trabalhadores e trabalhadoras das escolas, dos estudantes e das famílias. Não há como voltarmos às aulas presenciais no cenário que está posto, por isso continuaremos na resistência e ministrando as aulas remotas até que tenhamos as condições para retorno”, disse a presidenta do Sintese, Ivonete Cruz.

 O Sintese informou que todos os gestores municipais estão cientes desde a primeira assembleia, realizada no dia 04 de maio, de que os professores estão em greve contra as aulas presenciais e que se comprometeram a continuar com as aulas remotas. Ofícios também foram enviados após a assembleia do dia 09 de junho e eles foram notificados do resultado da assembleia desta quarta, dia 20.

O que diz o governo

 A Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura mantém o direito dos alunos de retornarem as aulas presenciais a partir do dia 17 de agosto, já que as escolas estão prontas para receber com segurança toda a comunidade escolar. A Seduc reforçou que prioriza as diretrizes da Organização Mundial da Saúde e do Conselho Nacional de Educação.

 E que as medidas adotadas para garantir segurança a alunos, professores e funcionários são consideradas as melhores do país por um colegiado de pesquisadores da USP. A Seduc informou que disponibilizou um rigoroso protocolo de segurança, contratou mais profissionais e fez melhorias na infraestrutura escolar. E imuniza como prioridade os profissionais da educação.

O que diz a Secretaria da Educação de Aracaju

 A Secretaria Municipal da Educação de Aracaju (Semed) informou, através de nota, que a vacinação dos profissionais da educação da capital começou no último dia 24 de maio. Até o dia 13 de setembro, quando acontecerá o retorno das atividades presenciais, há tempo hábil para que a maioria absoluta tenha sido imunizada com as duas doses da vacina.

 E estão todas equipadas com itens de proteção de combate ao vírus foram adquiridos. Bem como, a adequação de escolas que ainda não possuíam pias no refeitório. Além da avaliação física de todas as janelas das unidades de ensino, para verificar o funcionamento e garantir a circulação de ar nas salas de aula. A Semed disse ainda, que está realizando encontros de formação nas escolas sobre o Protocolo de Higiene e Cuidados para a orientação da rotina escolar no contexto da pandemia para que o retorno seja realizado de forma segura para toda a comunidade escolar.

 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Sergipano