Uma pesquisa interna do Facebook mostra que a saúde mental dos usuários adolescentes é afetada negativamente pelo uso do Instagram, o aplicativo de compartilhamento de fotos e vídeos do grupo.

 O documento, analisado pelo jornal The Wall Street Journal, afirma que "32% das adolescentes disseram que, quando se sentiam mal com seus corpos, o Instagram as fazia sentir pior". O relatório ainda informava, segundo o Business Insider, que "as comparações no Instagram podem mudar a forma como as jovens se veem e se descrevem". 

Imagem corporal

 Segundo o relatório, essas descobertas não são pontuais: foram consistentes ao longo dos últimos anos de pesquisa interna. A reportagem não menciona a duração do estudo, mas lembra que em 2019, em uma apresentação interna do Facebook, a empresa já havia dito que tornou "os problemas de imagem corporal piores para uma em cada três meninas adolescentes".

 Outra apresentação destacou que uma pequena porcentagem de usuários adolescentes britânicos e americanos do Instagram disse que começou a ter pensamentos suicidas devido ao uso da rede social.

 Hoje, mais de 40% dos usuários do Instagram têm menos de 22 anos, de acordo com documentos analisados ​​pelo The Wall Street Journal.

Versão do Facebook

 Quando contatados pelo Wall Street Journal para comentar, os representantes do Facebook responderam por meio de uma postagem de blog. 

 "Embora a história se concentre em um conjunto limitado de descobertas e as lance sob uma luz negativa, nós apoiamos esta pesquisa", disse o post.

 "Isso demonstra nosso compromisso com a compreensão de questões complexas e difíceis com as quais os jovens podem lutar e informa todo o trabalho que fazemos para ajudar aqueles que estão enfrentando essas questões", completava a nota.

 Quer conferir os conteúdos exclusivos de Época NEGÓCIOS? Tenha acesso à versão digital.

 

 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Portal Sergipano